I – DAS CATEGORIAS
 
Art.1)    SUB-11                nascidos em 98 / 99
SUB-12                nascidos em 97
SUB-13                nascidos em 96 / 97
SUB-14                nascidos em 95
SUB-15                nascidos em 94 / 95
SUB-16                nascidos em 93
SUB-17                nascidos em 92 / 93
 
 
II – DA PARTICIPAÇÃO DOS ATLETAS / MEMBROS DA COMISSÃO TÉCNICA
 
Art 2)    O atleta não poderá jogar por mais de uma Entidade.
 
Art 3)    O atleta só poderá jogar em uma categoria.
 
§ Parágrafo Único: Atletas de uma categoria poderão jogar na categoria superior ou inferior a sua, desde que atue apenas nela e esteja dentro da faixa de idade.
 
Art 4)   Caso ocorra infração nos artigos anteriores a equipe em que o atleta jogou irregularmente será considerada perdedora e o atleta estará impedido de participar da Copa.
 
Art.5)    Para que um atleta e membro da comissão técnica participem de um jogo deverá ser apresentado um destes documentos:
 
ATLETA
 
A)  Carteira de identificação expedida pela Secretaria da A.P.F. no ano de 2009, Região da Capital e Interior.
 
MEMBRO DE COMISSÃO TÉCNICA
 
A)  Carteira de identificação expedida pela Secretaria da A.P.F. no ano de 2009, Região da Capital e Interior ou;
B)  CREF ou;
C)  Carteira de identidade ou;
D)  Carteira de motorista ou;
E)  Passaporte.
 
Art.6)    É obrigatória a assinatura na súmula, dos atletas que iniciarão a partida e de todos os suplentes, além dos membros da comissão técnica.
 
§ Parágrafo 1º: A Entidade não poderá participar da partida se não houver, no banco, pelo menos 02 (dois) responsáveis. O não cumprimento deste parágrafo acarretará na aplicação do WO.

 
§ Parágrafo 2º: Em hipótese alguma será permitida a permanência de apenas 01 (um) membro de comissão técnica no banco de reservas, salvo no caso citado no parágrafo 5º. O não cumprimento deste artigo acarretará na aplicação do WO.
OBS: Em casos especiais o representante da partida poderá autorizar durante o jogo a saída de campo (temporária) de 01 (um) membro da comissão técnica.
 
§ Parágrafo 3º: Poderá ficar no banco de reservas 01 (um) diretor, 01 (um) técnico, 01 (um) preparador físico e 01 (um) massagista, de 18 anos em diante. Recomendamos a presença de um médico, fisioterapeuta ou enfermeiro no banco de reservas, sendo que apenas um deles poderá permanecer no banco, com a apresentação do seu C.R.M., CREFITO ou COREN respectivamente.
 
§ Parágrafo 4º: Apenas o técnico poderá usar o limite da sua área técnica para orientar os seus atletas, devendo os demais membros da comissão técnica ficar junto ao banco de reservas.
 
§ Parágrafo 5º: Se a equipe ficar com apenas 01 (um) membro da comissão técnica, por motivo de expulsão, este não poderá atender seus atletas dentro de campo usando a função de massagista. Seus atletas lesionados, dentro de um espírito esportivo, poderão ser atendidos pelo massagista adversário, ficando a critério do mesmo. Se tal fato não ocorrer, verificando a gravidade da contusão, o árbitro terá autoridade para autorizar a entrada do membro da comissão técnica que se encontra no banco de reservas.
 
Art.7)    É obrigatório o uso de caneleiras para todos os atletas.
 
Art.8)    Os membros da comissão técnica não poderão permanecer no banco de reservas sem camisa, de camiseta regata, de calção, bermuda, descalço ou de chinelo.
 
§ Parágrafo Único: Será permitido o uso de bermudões com o logotipo ou da mesma cor da equipe.
 
Art.9)    Os membros da comissão técnica e os atletas não poderão fumar e tomar bebida alcoólica dentro de campo.
 
 
III -     FORMA DE DISPUTA
 
Art.10)  O sistema de disputa da COPA NACIONAL – 2009 será passado as equipes em anexo, através do Regulamento Técnico.
 



IV – DA DURAÇÃO DOS JOGOS E DAS BOLAS
 
Art.11)   SUB-11                Dois períodos de 20 minutos cada e bola nº. 4;
SUB-12                Dois períodos de 25 minutos cada e bola nº. 5;
SUB-13                Dois períodos de 25 minutos cada e bola nº. 5;
SUB-14                Dois períodos de 30 minutos cada e bola nº. 5;
SUB-15                Dois períodos de 30 minutos cada e bola nº. 5;
SUB-16                Dois períodos de 30 minutos cada e bola nº. 5;
SUB-17                Dois períodos de 30 minutos cada e bola nº. 5.
 
§ Parágrafo 1º: Em todas as categorias haverá um intervalo de 05 (cinco) minutos entre os dois períodos.
 
§ Parágrafo 2º: Nas categorias SUB-11 e SUB-12 o tiro de canto será cobrado a uma distância de 16,50 metros da trave (junção da linha da área penal com a linha de meta).
 
 
V – DAS SUBSTITUIÇÕES
 
Art.12)   Em todas as categorias poderão ser feitas até 05 (cinco) substituições mais 01 (uma) exclusiva do goleiro, por equipe, durante o transcorrer do jogo. No banco de reservas poderão ficar no máximo 08 (oito) atletas.
 
§ Parágrafo 1º: Não será considerada substituição quando o atleta que antes do início da partida tenha assinado a súmula como titular e seja substituído por outro atleta.
 
§ Parágrafo 2º: Quando ocorrer substituição durante o transcorrer da partida, o atleta substituído poderá permanecer no banco de reservas. Este parágrafo não atende aos atletas substituídos disciplinarmente ou expulsos, não podendo os mesmos permanecer no banco de reservas.
 
 
VI -     DAS TABELAS E HONORÁRIOS DE JOGOS
 
Art.13)   Haverá uma tolerância de 30 (trinta) minutos para o início da primeira partida da rodada. Se a equipe não se apresentar dentro desse horário, será considerada perdedora, não podendo ser realizada a partida.
 
§ Parágrafo 1º: Subtende-se como primeiro jogo da rodada a primeira partida programada para o campo designado, sendo as demais realizadas na seqüência, independentemente do horário constante na tabela ou súmula do jogo.
 
§ Parágrafo 2º: Em caso de ocorrer WO em uma das partidas da rodada o horário a ser adotado para o jogo subseqüente será o mencionado na súmula do jogo.
 
§ Parágrafo 3º: Se porventura ocorrer atraso na partida anterior, e havendo no local da partida 02 (dois) representantes da A.P.F. as equipes da partida seguinte já deverão estar com a súmula devidamente assinada, somente aguardando a saída de campo das equipes da partida anterior para o início da partida.

 
§ Parágrafo 4º: As equipes terão que fazer o trabalho de aquecimento fora de campo para que seja obedecido o horário da tabela.
 
Art.14)   A equipe que não comparecer para participar de um jogo, será considerada perdedora pelo placar de 3 X 0, e estará automaticamente ELIMINADA da Copa.
 
§ Parágrafo 1º: Para a eliminação do campeonato, só será considerado WO quando a equipe não comparecer no local da partida.
 
§ Parágrafo 2º: Não serão aceitos recursos para WO, sob qualquer tipo de motivo ou alegação, devendo a Presidência da A.P.F. denegá-los de plano, exceto casos de calamidade pública que serão analisados pelo Depto. Jurídico.
 
Art.15)   As equipes deverão apresentar as seguintes condições mínimas nos seus jogos:
 
A)  Cada equipe deverá apresentar no mínimo 02 (DUAS) BOLAS da marca SFERA em condições de jogo, conforme a categoria.
 
§ Parágrafo 1º: No caso das 04 (quatro) bolas se perderem durante a partida, as equipes deverão apresentar bolas da marca citada anteriormente, alternadamente, sendo que a equipe que estiver do lado esquerdo da tabela ou na parte superior da súmula deverá apresentar primeiro.
 
§ Parágrafo 2º: O representante oficial da A.P.F. não é responsável pelas bolas entregues na mesa, devendo as equipes tomar as providências para que as bolas não se percam antes, durante ou após a partida.
 
B)  Na coincidência das cores do uniforme, caberá a equipe que estiver a esquerda da tabela ou na parte superior da súmula a troca do mesmo;
 
§ Parágrafo Único: Se a equipe não atender os itens A e B deste artigo a partida poderá ser realizada desde que haja a concordância da equipe adversária, com a sua respectiva assinatura atrás da súmula autorizando a realização da partida. Não havendo a concordância ficará caracterizado o WO.
 
 
VII – DA PONTUAÇÃO
 
Art.16)   A COPA NACIONAL – 2009 será regida pelo sistema de pontos ganhos a saber:
 
VITÓRIA               04 (quatro) PONTOS
EMPATE               02 (dois) PONTOS
DERROTA             01 (um) PONTO
WO                    00 (zero) PONTO

 
VIII – DOS DESEMPATES
 
Art.17)   Persistindo o empate entre duas ou mais equipes serão adotados os seguintes critérios de desempate:
 
1-     Maior número de vitórias;
2-     Maior saldo de gols;
3-     Maior número de gols marcados;
4-     Menor número de gols sofridos;
5-     Confronto direto (entre duas equipes);
6-     Equipe mais disciplinada (ver parágrafo único);
7-     Sorteio.
 
§ Parágrafo Único: A apuração da equipe mais disciplinada será por categoria desta forma:
Cada cartão vermelho ou azul valerá 03 (três) pontos;
Cada cartão amarelo valerá 01 (um) ponto;
Cada membro da comissão técnica expulso valerá 05 (cinco) pontos.
A equipe mais disciplinada será a que somar menos pontos.
 
 
IX – DAS PENALIDADES
 
Art.18)   Na COPA NACIONAL – 2009 o atleta que receber o cartão amarelo perderá a condição de jogo a cada série de 02 (duas) advertências.
 
§ Parágrafo Único: O atleta que receber o cartão amarelo e o cartão vermelho na mesma partida terá o seu cartão amarelo anulado.
 
Art.19)   O atleta expulso ou substituído disciplinarmente (cartão azul) ficará automaticamente suspenso para o jogo seguinte.
 
§ Parágrafo 1º: A expulsão com cartão vermelho será aplicada aos atletas das categorias SUB-14, SUB-15, SUB-16 e SUB-17.
 
§ Parágrafo 2º: A substituição disciplinar (cartão azul) será aplicada aos atletas das categorias SUB-11, SUB-12 e SUB-13.
 
§ Parágrafo 3º: Em todas as categorias o Presidente do Tribunal embasado no conteúdo da súmula poderá convocar os infratores para julgamento.
 
Art.20)     Os membros da comissão técnica expulsos ficarão automaticamente suspensos para o jogo seguinte, na categoria em que o mesmo foi expulso.
 
Art 21)   Casos de agressão a árbitros, auxiliares, representantes, adversários ou qualquer ato de indisciplina mais grave o atleta ou membro da comissão técnica estará automaticamente eliminado da Copa.

 
Art.22)   Ao final da partida o representante de cada equipe deverá assinar a súmula da partida, certificando a retirada das carteiras e todos os dados constantes na súmula (resultado final, gols, cartões amarelos e vermelhos, substituições, etc.). Não serão aceitos recursos por parte dos filiados que conferiram e assinaram a súmula, estando os mesmos de acordo com os dados da súmula da partida.
 
Art.23)       A responsabilidade do controle de cartões será do filiado. Será divulgada diariamente em nosso boletim a relação dos apenados. Caso o boletim não esteja correto, caberá ao filiado entrar em contato com o Depto. Técnico / Estatístico para a confirmação dos cartões ou esclarecimentos de eventuais dúvidas.
 
Art.24)   Qualquer ato de indisciplina mais grave (invasão de campo, arremesso de objetos para dentro de campo, entre outros) por parte do pai ou qualquer outro familiar do atleta, e este for identificado, a carteira do atleta estará automaticamente cassada pela Presidência por prazo indeterminado.
 
 
X – DA PREMIAÇÃO
 
Art.25)   A premiação da COPA NACIONAL – 2009 será da seguinte maneira:
·         Troféu e 22 medalhas para o campeão e vice-campeão de cada categoria;
·         Diploma para o campeão e vice-campeão de cada categoria;
·         Prêmio ao artilheiro de cada categoria;
·         Prêmio ao goleiro menos vazado de cada categoria.
 
§ Parágrafo Único: No caso de atos de indisciplina de maneira desonesta, dolosos, violentos e contrários aos interesses e finalidades da A.P.F. em alguma partida da decisão, a premiação da categoria da equipe que participar do tumulto será suspensa.
 
 
XI – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
 
Art 26)  As cláusulas não constantes deste Regulamento e que estejam afeto a COPA NACIONAL – 2009, obedecerão aos mesmos critérios do Regulamento Geral da A.P.F., que está disponível no site www.apfutebol.com.br.
 
Art.27)   Os casos omissos deste Regulamento serão resolvidos pela Presidência e/ou Departamento Jurídico da A.P.F..

 
Prisco Palumbo
  Presidente